Ciências Sociais aplicadas: desafios e contradições

Descrição

Capítulo 1

NARRATIVAS DA PESSOA TRANSGÊNERA

Capítulo 2

IMPLEMENTAÇÃO DE SISTEMA DE MANUTENÇÃO PREDIAL E EQUIPAMENTOS EM ESTABELECIMENTO ASSISTENCIAL DE SAÚDE DO MUNICÍPIO DO RIO DE JANEIRO

Capítulo 3

IMPLICAÇÕES EPISTEMOLÓGICAS, PRAXIOLÓGICAS E AXIOLÓGICAS SOBRE O USO DA AUTOCONFRONTAÇÃO NA ANÁLISE DO TRABALHO DO PONTO DE VISTA DA ATIVIDADE

Capítulo 4

ANÁLISE DAS COMPETÊNCIAS DE DISCENTES DE ADMINISTRAÇÃO : UM ESTUDO COM GRADUANDOS NO OESTE DA BAHIA

Capítulo 5

UMA ANÁLISE DAS ATIVIDADES DE ORALIDADE PRESENTES NO LIVRO DIDÁTICO UTILIZADO NO ENSINO FUNDAMENTAL

Capítulo 6

DISCUSSÃO A RESPEITO DA IGUALDADE DE ACESSO À EDUCAÇÃO ENTRE JOVENS TRABALHADORES E NÃO-TRABALHADORES

Capítulo 7

QUESTÃO ANIMAL E DIREITOS HUMANOS: UMA CORRELAÇÃO POSSÍVEL E NECESSÁRIA

Capítulo 8

PARTICIPAÇÃO SOCIAL NO ACOMPANHAMENTO DAS POLÍTICAS HABITACIONAIS: UM ESTUDO NA TRANSFERÊNCIA DO FNHIS.

Capítulo 9

DISCURSO CIENTÍFICO E DISCURSO ACADÊMICO: SOBRE A CIRCULAÇÃO NOS ESPAÇOS DIGITAIS

Capítulo 10

DELINQUÊNCIA JUVENIL: EXPECTATIVAS E REALIDADE ECONÔMICA

Capítulo 11

COMPLEXIDADE E CONTRADIÇÃO DO CITY INFORMATION MODELING NO PROJETO URBANO

Capítulo 12

“ IMIGRANTES HAITIANOS: VIDAS E SONHOS EM MOVIMENTO ”

Capítulo 13

O DEBATE SOBRE DIVERSIDADE DE GÊNERO E SEXUAL: UMA PROPOSTA PARA A SALA DE AULA

Capítulo 14

PROJOVEM E PRONATEC COMO PROMOÇÃO DOS DIREITOS HUMANOS

Capítulo 15

GIRO CIENTÍFICO: JORNAL EM FORMA DE CANAL DE YOUTUBE

Capítulo 16

REFLEXÕES SOBRE A PRATICA DOCENTE: SUSTENTABILIDADE E CONSCIENTIZAÇÃO

Capítulo 17

A IMPORTÂNCIA MEDICINAL DE ZANTHOXYLUM RHOIFOLIUM LAM (RUTACEAE)

Capítulo 18

AVALIAÇÃO DO TEOR DE MATÉRIA SECA DE CANA-DE-AÇÚCAR ADITIVADA COM DIFERENTES ADITIVOS E INOCULANTES BIOLÓGICOS

Capítulo 19

AS DIMENSÕES ENVOLVIDAS NA REFORMA DO REI EZEQUIAS

Capítulo 20

COBRA GRANDE: UMA EXPRESSÃO DA IDENTIDADE DA AMAZÔNIA TOCANTINA

Capítulo 21

HUMANIZAÇÃO NOS PRESÍDIOS: UM ESTUDO SOBRE GESTÃO SOLIDÁRIA

Capítulo 22

PRESENÇA DE HYPARRHENIA RUFA DIMINUI A ABUNDÂNCIA E RIQUEZA DE ESTRATO HERBÁCEO?